quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Lido: Livros que não deviam ter sido escritos – XIV

Claro que não poderia faltar, numa antologia de contos fantásticos sobre livros, um conto lovecraftiano. Chega pela pena de José Manuel Morais e faz também referência à ficção borgesiana, pois emula os falsos artigos sobre literatura e arcanas edições que Borges tanto escreveu. No caso, um artigo sobre um tal Aulus Cremutius Cordus, o qual teria escrito sobre os Grandes Antigos, ligando-os aos mitos gregos e a histórias de outras partes do mundo. No entanto, as limitações no tamanho das ficções que esta antologia de microficções tem, a pressa de enfiar o máximo possível de referências na mínima extensão de texto, provocada (em parte) por essas limitações, e o facto de Morais não ser nenhum Borges, longe disso, fazem com que este Livros que não deviam ter sido escritos – XIV esteja longe de ser dos melhores textos desta publicação. É conto demasiado ambicioso para o espaço e o material que tem à disposição, e falha precisamente por isso.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário