sábado, 23 de dezembro de 2017

Lido: Manuais Escolares

Em contraste com o conto anterior, este Manuais Escolares tem um final simplesmente perfeito, a rematar com grande qualidade outra divertida história de fantasia sobre uma aprendiza de demónio que foi castigada pela mãe por excesso de travessura. A historinha pouco mais é que uma conversa entre a protagonista e o irmão, mas Raquel da Cal (de quem eu nunca tinha lido nada) escreve-a bem, com bom ritmo e boa e credível aplicação do discurso direto através do qual (não só mas principalmente) entrega a informação necessária sem infodumps, e não mais que a informação necessária. Bastaria isto para a história já ser boa, mas aquele final consegue transformá-la num dos melhores contos desta antologia. O que ele tem de pior é o título, pouco inspirado e não muito adequado ao conteúdo.

De vez em quando há boas surpresas. E também é para isto que servem as antologias.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário