sábado, 23 de dezembro de 2017

Lido: Los Crímenes que Conmovieron al Mundo

Los Crímenes que Conmovieron al Mundo é um conto muito mau, rematando da pior forma possível esta antologia de ficção científica mexicana. Não que as ideias o sejam, propriamente. O conto é um relato das tragédias causadas pela moda de implantar interfaces para chips no cocuruto da cabeça das pessoas, na segunda metade deste século, o que, sem ter nada de genial, até poderia resultar num conto ou noveleta com algum interesse. O problema é estar escrito como uma redação escolar, literariamente indigente, infodump puro. Não há uma personagem, não há um diálogo, não há um enredo minimamente interessante. Só há descrição, que nem sequer está disfarçada de artigo científico ou de imprensa, o que lhe poderia dar um pouco de interesse literário. Nada. É como se um miúdo que nunca tivesse escrito ficção na vida resolvesse aplicar as técnicas para escrever redações aprendidas na escola e achado o resultado suficiente.

Não posso saber se José Luis Velarde só é capaz disto ou foi aqui particularmente infeliz: nunca tinha lido nada dele. Mas sei que o exemplo que aqui apresenta não me dá nenhuma vontade de descobrir. Este foi dos piores contos que li em todo o ano.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário