terça-feira, 5 de setembro de 2017

Lido: Visión de los Vencidos

Acontece com todas as grandes obras da literatura (e não só) servirem de inspiração direta a sucedâneos e adaptações, e a ficção científica não é imune a essa tendência. A título de exemplo, ainda há poucos meses se falou aqui na Lâmpada de O Verdadeiro Dr. Fausto, de Michael Swanwick, romance assumidamente inspirado pelas lendas faustianas e em particular, muito provavelmente, pelo poema de Goethe. Mas nem só de obras antigas se faz esse caldo cultural, como se viu há dias quando falámos do conto Dilema, de Connie Willis. E se Asimov ainda é relativamente raro como inspirador de obras de outros autores, o mesmo não se pode dizer de H. G. Wells e da sua Guerra dos Mundos.

Uma das tendências mais comuns no que toca a adaptações, reimaginações e sucedâneos dessa obra de Wells é arrancá-la da Iglaterra em que o autor a situa e colocar a invasão marciana em outras geografias. Os antecedentes de tal abordagem dificilmente seriam mais ilustres; afinal foi isso mesmo que fez Orson Welles ao transplantar a sua adaptação para os EUA. Já Gabriel Benítez teve uma ideia um pouco diferente e atrevo-me a dizer que mais original: transplantou-a para o seu México natal, é verdade, mas não no início do século XX. O que Benítez faz em Visión de los Vencidos é imaginar uma invasão anterior, igualmente catastrófica, que teria tido lugar imediatamente antes da chegada de Hernán Cortés ao que viria a ser o México.

E fá-lo muito bem, sob a forma de uma espécie de investigação levada a cabo por um franciscano quinhentista sobre o que teria acontecido alguns anos antes, cheia de citações de documentos e transcrições de testemunhos, adequadamente escritos no espanhol da época, e servindo-se de lendas e tradições indígenas verdadeiras como combustível para o enredo (que na verdade, para lá da diferença na forma e em alguns detalhes, pouco se diferencia do enredo de Wells: marcianos chegam, destroem e matam, conquistam e acabam misteriosamente mortos, libertando do terror os traumatizados terráqueos), explicando dessa forma, com uma invasão marciana anterior e consequente queda do império Mexica, a facilidade da conquista espanhola.

Visión de los Vencidos é boa literatura de ficção científica.

Conto anterior deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário