quarta-feira, 19 de abril de 2017

Lido: Crítica Literária de "O Intrépido Teófilo nas Ruínas do Cairo"

Das notícias falsas passamos à crítica falsa a um livro inexistente, nomeadamente um livro do Intrépido Teófilo que já encontrámos alguns textos antes. Trata-se da Crítica Literária de "O Intrépido Teófilo nas Ruínas do Cairo", um dos populares volumes do intrépido autor, e diga-se que o anónimo crítico (de novo o Carlos Silva, naturalmente) está tudo menos embevecido pelos dotes literários do amigo Teófilo Pais. Na verdade, desanca-o com violência. Ou melhor: desanca-o a ele, desanca a obra (uma obra que não obriga o leitor a consultar o dicionário, francamente!) e desanca os leitores que teimam em ler aquilo, ainda que essa surra seja pelo menos em parte movida a preconceitos de classe e a uma conceção de literatura a atirar para o pedante.

Escrevi antes que o Intrépido Teófilo é personagem que dá pano para mangas, e aqui está mais uma manguinha. Uma manguinha que não só é francamente divertida, pois um leitor fica na dúvida se há de achar mais merecedor de risos condescendentes o criticado ou o crítico, como contribui para tornar a personagem mais tridimensional e complexa. Para este texto ser realmente bom, parece-me, só faltaria adequar a prosa do crítico à sua personalidade e às suas opiniões, enchendo-o com os rodriguinhos presunçosos e as palavras rebuscadas que alguém assim certamente escreveria, mesmo numa crítica de jornal.

Textos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário