quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Lido: 2014 Campbellian Anthology - A. G. Carpenter

A. G. Carpenter aparece na antologia com dois contos

Insomnia é um conto de ficção científica, protagonizado por uma agente de uma espécie de serviço de controlo do fluxo do tempo. Por outras palavras, uma espécie de assassina, que só não o é por inteiro porque não mata ninguém, limitando-se a prever as ramificações possíveis e prováveis do presente e do futuro e a escolher aquela ou aquelas em que os seus alvos acabam mortos. E tudo para que as coisas se mantenham viáveis, para que, com a morte de alguns indivíduos selecionados, se garanta a sobrevivência da maioria. Mas há um preço a pagar, e a agente está prestes a pagá-lo. A ideia é interessante, ainda que algo já vista, e até nem está mal executada, mas foi mais um conto que não me encheu as medidas.

In the Cool of the Day é uma história fantasmagórica que não começa como tal, antes parecendo uma reinvenção da história da Cinderela ambientada algures no Midwest norte-americano e num passado não muito distante. A novel Cinderela é uma rapariga que cuida de uma tia muito velha, à beira da morte mas que ainda conserva a lucidez intacta. Com uma atmosfera muito feminina (A. G. Carpenter é uma mulher), a história vai-se desenrolando de uma forma bastante previsível, com as filhas malvadas da velha, e respetivos maridos, a cobiçar a herança e a velha a não estar pelos ajustes, uma espécie de príncipe nada principesco e muito pouco encantado (mas adequado) para a Gata-Borralheira a rematar o elenco, e um episódio sobrenatural a pôr aquele pequeno mundo nos devidos eixos. Não sendo um mau conto, sendo até uma história que está bem construída, foi, no entanto, um conto que me me deixou acima de tudo aborrecido. Por excesso de previsibilidade, provavelmente. É o principal problema da recuperação de velhas histórias: não é fácil insuflar-lhes nova vida. E neste caso creio que Carpenter não o conseguiu fazer lá muito bem.

Sem comentários:

Enviar um comentário